Antiga Estação Ferroviária de Goiânia recebe exposição Via Sacra

Goiânia – O Museu Frei Confaloni, na Antiga Estação Ferroviária, recebe a partir desta quarta-feira (13/4) a exposição Via Sacra. Na noite de abertura, dois livros serão autografados por seus respectivos autores: PX Silveira, com “Frei Confaloni – Via Sacra”, e César Garcia, com “Confaloni no Presente”. As obras ficarão expostas de 14 de abril a 14 de maio.
Peças integram o acervo do artista César Garcia. São 14 obras produzidas pelo próprio Frei Confaloni, ainda na Itália, em 1965, que rememoram o caminho percorrido por Jesus em sua Vida, Paixão, Morte e Ressurreição. “É motivo de orgulho receber obras do renomado artista Frei Confaloni, no museu que leva seu nome”, afirma o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz.
Neste mês, são celebradas 57 Páscoas desde que o conjunto de obras foi idealizado. O secretário municipal de Cultura, Zander Fábio, descreve a exposição como “obras belas, de grande peso artístico e representatividade religiosa que proporcionam reflexão, além do reconhecimento à arte”.
Via Sacra de Frei Confaloni
Na década de 1960, a exposição foi encomendada à Igreja do Convento de Fiesole e, após passar pelo Convento de São Marcos, em Florença, chegou ao Brasil, em 1986. Peças compõem o único conjunto de obras com óleo sobre tela pintado por Frei Confaloni.
As obras foram pintadas em curto espaço de tempo, por ocasião de uma das viagens do Frei à sua terra natal. Imagens apresentam carga expressionista incomum, que incorporam figuras e fundos no mesmo ambiente pictórico.
A sequência das obras começa com Jesus no pretório de Pôncio Pilatos, que lava suas mãos, e termina na tela na qual Jesus é delicadamente acolhido no colo de Maria.
Outro conjunto, também de autoria de Frei Confaloni, mas em afresco, é composto pelos 15 Mistérios do Rosário e está em exposição na Cidade de Goiás.
Frei Confaloni
Frei Nazareno Confaloni foi pintor, muralista, desenhista e professor, considerado marco zero da modernidade artística goiana, além de uma das principais referências da arte no Estado de Goiás.
Ordenado aos 22 anos, estudou na Academia de Belas Artes de Florença, paralelamente à formação religiosa. Em 1950, pintou 15 afrescos, denominados Os Mistérios do Rosário, a convite do bispo Ca?ndido Penzo.
Mudou-se para Goiânia em 1952, onde, além da atividade religiosa, dedicou-se a? pintura de temática social, utilizando-se da figura humana e da paisagem cerratense. Foi nomeado primeiro vigário da Paróquia de São Judas Tadeu e, ao longo dos anos, foi responsável pelos projetos de construção da Igreja São Judas Tadeu.
A igreja foi inaugurada em 1965, e abriga os restos mortais de Frei Confaloni, sob a permissão especial do então governador em exercício, Luiz Bittencourt. Ao lado de Luiz Curado, idealizou a Escola Goiana de Belas Artes (EGBA), depois transformada na Faculdade de Arquitetura da UCG, onde lecionou pintura e desenho.
Hoje, Frei Confaloni é reconhecido como importante vetor da arte moderna em todo Centro-Oeste por romper paradigmas, abrir fronteiras e inspirar gerações de talentosos artistas, como Amaury Menezes, Siron Franco, Ana Maria Pacheco, Iza Costa, Sáida Cunha e Neusa Moraes.
Fonte: aredacao.com

Notícias Relacionadas