Preço da carne bovina acumula queda de 2,7% nos três primeiros meses do ano e deve cair mais 

Nos três primeiros meses do ano o preço da carne bovina acumulou uma queda de 2,7% na soma. Estima-se que até o fim de 2023 essa redução pode chegar a 5%, mas, os preços não devem voltar ao mesmo patamar antes de pandemia, segundo o IPCA, índice que mede a inflação brasileira. A informação é do site UOL.

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a quantidade disponível de carnes de boi, frango e porco será de 20,77 milhões de toneladas neste ano. O volume representa aumento de 5% em relação a 2022.

Um dos motivos para a maior oferta de carnes é o custo de produção. Houve queda no preço de grãos como soja e milho, que servem como alimentação para os animais. Com uma oferta maior de carne, naturalmente o preço do alimento cai.

Ainda conforme o UOL, as carnes de porco e de frango também devem apresentar queda nos preços. Os motivos são os mesmos por trás da redução no valor da carne bovina: o custo menor de produção dos animais. Assim, segundo o especialistas, essas carnes podem ficar até 10% mais em conta.

Especialistas explicam que nos últimos 4 anos, o preço da carne disparou quase 70% e dificilmente voltará tão cedo ao que era antes da pandemia. Mas ponderam: “A mesa do brasileiro deve ser um pouco mais farta”.

Fonte: Diario de goiás


Notícias Relacionadas